A Brevidade da Vida

 

“ Minha vida é um instante, uma rápido segundo.”1

Eis uma sentença que mudaria a forma como encaramos tudo em nossa vida se  estivesse cravada em nossa alma.

Como os aborrecimentos, as frustrações, as perdas perderiam a potência se fossem confrontadas com esta verdade; como as alegrias, realizações, satisfações teriam outra dimensão diante da brevidade da vida!

Penso que cabe aqui explicar que meditar sobre esta sentença só pode ser frutuoso se tiver Cristo como seu centro. Senão a efemeridade da vida só nos trará medo da morte e consequentemente uma busca desenfreada por vivenciar prazeres terrenos  e carnais que são estéreis quando  entendidos como fim, como maior bem.

Ao contrário, se Cristo é o fundamento desta realidade tudo muda: nosso olhar para o próprio Jesus, para o Céu e para  a Eternidade; nosso desejo para as coisas celestes, o desejo pelo próprio Deus; nossa vontade em amar a cada instante e em cada detalhe o Autor da vida.

Façamos esta experiência, fechemos os olhos e voltemos todo nosso intelecto para esta frase: “ Minha vida é um instante, uma rápido segundo.” Algo tão simples e tão profundo! Não sabemos se no próximo segundo estaremos ou se teremos passado…  Percebamos como Cristo e Seu Reino está mais perto temporalmente de nós do que normalmente pensamos. Fechemos os olhos, coloquemos todas nossas dores e alegrias, nossos rancores, nossas conquistas e perdas, nossos bens materiais, nossas ambições desregradas, nossos pecados.. tudo, coloquemos tudo diante da efemeridade da nossa existência!

Nossa vida é um piscar de olhos, um instante! Frágil e passageira! Diante disso, tudo isso que nos faz sofrer tem a dimensão de uma ponta de agulha!2 Frente a isso alcançamos aquele estado no qual nada nos pertube, nada nos espanta!3

Saber desta brevidade permite-nos romper com toda cobiça ao mundo que nos torna indignos de dizer o nome de Cristo.4 Saber desta brevidade muda tudo, tudo, tudo; impulsiona nosso amor pela ciência de que para amar a Deus só temos hoje, só podemos Agora, no presente.5  

Wellington Vieira

 

1 – Santa Teresinha do Menino Jesus,  Meu  Canto de Hoje (Poemas – Obras Completas)
2 – cf. SANTA CATARINA DE SENA, Carta para João Trenta e a Esposa Maria (Carta 152 – Cartas Completas)
3 – cf. SANTA TERESA D’ÁVILA,  Eficácia da Paciência (Poemas  – Obras Completas)
4 – cf. SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA, Cartas aos Romanos (Padres Apostólicos)
5 – cf. Santa Teresinha do Menino Jesus,  Meu  Canto de Hoje (Poemas – Obras Completas)
Ajude-nos a Evangelizar. Compartilhe este post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *