Semana Santa – Domingo de Ramos

Jesus na cruz abandonado, despido, blasfemado

 

I. Prel.: – Vejamos Jesus recebido há pouco em triunfo, agora pregado na cruz, desamparado, blasfemado, amaldiçoado!

II. Prel.: – Peçamos a graça de desprendermos completamente o coração do mundo, para nos prendermos somente a Deus.

 

E todos os conhecidos de Jesus estavam de largo (Luc., XXIII, 49)

 

CONSIDERAÇÕES: – As cerimônias extraordinárias que precedem a missa deste domingo, a bênção dos Ramos, a procissão, o alegre canto de hossana, foram instituídos pela Igreja em memória da entrada triunfal de Jesus Cristo na cidade de Jerusalém, num dia semelhante. Que contraste, com seis dias só de intervalo, entre as honras prestadas então a Jesus e os ministérios de ignomínia, de cego furor que vemos agora cumprirem-se na cruz! Meditemos, para nossa instrução, este pasmoso contraste: há seis dias conforme narra S. João (XII, 12): “Uma grande multidão de povo, que tinha vindo à festa da Páscoa, ouvindo dizer que Jesus, montado num jumentinho, se aproximava da cidade, saiu-lhe ao encontro…”. E seguiu-o em magnífico cortejo até à entrada do tempo… Agora, condenado à morte, vê-se só… abandonado, desamparado de todos os amigos… que se tinham retirado e afastado para longe.

APLICAÇÕES: – Aprendamos a não confiar na amizade dos homens, nem no socorro e consolação que teríamos direito a esperar deles, particularmente no tempo da desgraça ou da perseguição; aprendamos a prescindir voluntariamente de qualquer prova de simpatia e de compaixão, da parte dos nossos amigos e até de nossos irmãos ou superiores, contentando-nos com ter só a deus por confidente nas nossas penas e sofrimentos. Feliz o cristão ou o religioso que desde os primeiros anos segue esta norma de vida! Ninguém o ouvirá depois queixar-se, como sucede tantas vezes, de que não se têm para com ele as atenções e respeitos que eram justos. Jesus abandonado na cruz consolá-lo-á e será para ele o seu tudo.

AFECTOS: – Ó Jesus, que sois a consolação dos aflitos e a força dos fracos, tende piedade de nós e ajudai-nos.

PROPÓSITOS: – Nas penas e abandono que sentirmos, pensemos em Jesus abandonado de todos, mesmo daqueles a quem encheu de benefícios e pelos quais está sofrendo.

FONTE: MEDITAÇÕES PRÁTICAS PARA TODOS OS DIAS DO ANO SOBRE A VIDA E DOUTRINA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO,
P. BRUNO VERCRUYSSE, S.J.
LIVRARIA APOSTOLADO DA IMPRENSA, 1950
Ajude-nos a Evangelizar. Compartilhe este post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *