Foi assim que o Santo Cura d’Ars respondeu aos insultos do diabo

Tradução: Tiago silva

Fonte: churchpop.com

“O diabo é como um cão amarrado que não pode morder”. Com esta frase, Santo Agostinho explicou a ação limitada do diabo. No entanto, às vezes Deus solta um pouco a corda que prende o demônio para dar a conhecer a sua existência. Muitos santos testemunharam isso, especialmente o santo sacerdote de Ars, São João Maria Vianney.

Dizem que ele, sendo padre de Ars, começou a ouvir ruídos perturbadores em seu quarto quando ele foi dormir. No começo, pensou que eram roedores, mas pouco a pouco percebeu que era obra do demônio.

O ruído era tal que saiu da sala e muitos se compadeceram do padre exclamando “pobre santo homem, como você pode viver no meio desse ruído horrível?”.

Uma noite, o mesmo demônio apareceu desafiante para Vianney dizendo:

“Vianney, Vianney, acorde, dorminhoco! Você não é mais que um pobre sacerdote comedor de batatas! “

Disse ele, zombando das austeras refeições do padre.

Com a intenção de atormentá-lo mais, o demônio cobriu a sala com uma sombra escura e fedida, sacudiu a cama e pegou-o pelos pés arrastando o por vários metros.

Longe de abalar-se, o santo sacerdote de Ars respondeu:

“Eu sei que você não quer que eu durma porque amanhã me aguarda um longo dia de confissões, mas quero dizer-lhe que você me deixa com muita pena: a grande maioria daqueles que frequentarem a Santa Missa amanhã se arrependerão de seus pecados através do sacramento de Reconciliação e, se continuarem com suas vidas como bons cristãos, eles irão para o Céu. Por outro lado, você me dá grande tristeza, porque você já está condenado e você não tem remédio. Pobre de você!”

O demônio ficou furioso e saiu batendo a porta com força com um forte, então San João Maria Vianney voltou para sua cama, rezou calmamente e adormeceu.

Ajude-nos a Evangelizar. Compartilhe este post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *